domingo, 3 de maio de 2009

A Poesia Está Muito Acima de Jorge de Lima


Quero edificar o templo, o grande templo, quero
[materiais.
Quero fazer o altar para os holocaustos e os incensos.
E queimarei os perfumes inúteis nas narinas de Deus,
nos cabelos dos arcanjos, no hálito de todos os eleitos.
Quero oitenta mil braços para cavar montes e derrubar

[madeiras,
e uns trezentos mil para colher água pura.
Quero um para adivinhar onde tem ouro, onde fica

[o sol.
Buscai-me um ladrão para para roubar a lua.
Vinde escultor fazer um querubim com dez côncavos

[de asas.
segurando um cálice descomunal e uma palma

[de bronze.
E sobre os capitéis haveis de colocar um peixe-v
oador
voando para não sei.
Chamai Salomão para varrer o templo com sua

[sabedoria
e com suas mil mulheres, com suas éguas e com seu

[cajado.
E depois venha o fogo do céu queimar as oferendas.
E tudo caia com os rostos na terra,
porque a poesia está muito alta
acima de vós, mundo muito pequeno!


Do livro Tempo e Eternidade.

5 comentários:

Maria Costa disse...

Li e reli...
Maravilhoso poema.

Dia feliz.

Efigênia Coutinho disse...

Grande postagem destes versos do escritor Jorge de Lima,onde ele abre a boca e grita seu interior na poesia,
Efigênia Coutinho

maria azenha disse...

poema de mão sublime!
Forte!como gosto, em sua pedra de toque!

Obrigada por ele ter passado por minha Vida.


beijo,
maria azenha

Jefferson Bessa disse...

A poesia de Jorge de Lima possui uma grande força. É uma poesia que fala alto, é uma poesia elevada! Maria Costa, Efigênia e Maria Azenha, obrigado pela visita.

Um abraço.
Jefferson.

ADRIANO NUNES disse...

Jefferson,


Parabéns pela postagem. Sou fã de Jorge de Lima e, assim como ele, sou médico e poeta, e alagoano!

Abraço forte!
Muito bom ter conhecido o seu blog!
Adriano Nunes.