quarta-feira, 22 de julho de 2009

Escrúpulo: um poema do argentino Oliverio Girondo



Me parece que vivo
que estou entre os ruídos
que vejo estas paredes
que são minhas as mãos,
mas talvez eu me engane
e paredes e mãos
só são recordações
de uma vida passada.

Disse só “me parece”
Eu não garanto nada.
*tradução Jefferson Bessa

3 comentários:

maria azenha disse...

não conhecia.
e amei .

Jefferson Bessa disse...

Amiga Maria, gosto muito do poema. Quando o reli não tive dúvidas de postar aqui no blog. Também amei.

Um beijo.
Jefferson.

Gregorio Omar Vainberg disse...

Girondo é um dos meus favoritos

Fico feliz de ve-lo aqui.
Un abraço