quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Um trecho de Martin Heidegger



Estamos sempre no perigo de sobrecarregar um poema com excesso de pensamento e assim impedir que o poético nos toque. Um perigo ainda maior - hoje dificilmente assumido - é o de pensar de menos, de resistir ao pensamento de que a experiência em sentido próprio da linguagem só pode ser uma experiência de pensamento, de que a grandeza poética de toda poesia vibra num pensamento. (...) Como há séculos nos alimentamos do preconceito de que o pensamento é coisa da ratio, ou seja, do cálculo em sentido amplo, falar sobre a vizinhança entre de pensamento e poesia parece sempre muito suspeito.

O pensamento não é nenhum meio para o conhecimento. O pensamento abre sulcos no agro do ser.

2 comentários:

Hilton disse...

Sem dúvida um dos mairoes filósofos do século XX! Ser e tempo, uma obra que marca profundamente quem se dispõe a difícil tarefa de lê-la.

maria azenha disse...

excelente post.

beijo,

mariah