sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

A ROSA: um poema de Hölderlin


    Suave irmã!
    Onde irei buscar, quando for Inverno,
As flores, para tecer coroas aos deuses?
Então será, como se eu já não soubera do Divino,
    Pois de mim terá partido o espírito da vida;
      Quando eu buscar prendas de amor aos deuses,
        As flores no campo escalvado,
          E não te achar.

Poema inserido no capítulo "Planos e fragmentos" do livro Hölderlin- Poemas
Tradução de Paulo Quintela.

4 comentários:

Mirze Souza disse...

Jefferson!

Belíssimo e triste. Adorei a forma como se refere à irmã: "suave".

Acho que a dor gera poemas muito belos.

Obrigada por mais essa apresentação!

Mirze

Mirze Souza disse...

Jefferson!

Fiquei tão encantada com o poema que procurei mais.

O Dr Google tem muitos, e todos com essa suave doçura, o que me fez despertar.

Beijos

Mirze

teca disse...

Ah... realmente muito doces esses versos.
Um beijo terno, poeta.

Hilton Valeriano disse...

Um gigante do romantismo!