quarta-feira, 21 de julho de 2010

vinolência: um poema de Luiz Filho de Oliveira


tomo-te em meus braços
a boca vinosa: sangue
bem tinto a vidar-me

já tu me-tomaste
de branca surpresa - tanto! -
que te-encontras tonta





Poema retirado do blog Deleitura de Luiz Filho de Oliveira. Recentemente lançou o livro de poesias Onde Humano.

Para quem quiser visitar o espaço: CLIQUE AQUI.

6 comentários:

Luiz Filho de Oliveira disse...

Jefferson, abrir espaço para os novos é realmente uma iniciativa nobre. Agradeço em nome de muitos.

Jefferson Bessa disse...

Luiz, um grande prazer ter um poema de sua autoria aqui no blog.
Seja sempre bem-vindo!
Um abraço.

teca disse...

Também considero um ato nobre!

Gostei da poesia!

Um beijo para os dois!

Hilton Valeriano disse...

É muito importante espaços literários de qualidade como esse. Parabéns amigo Jefferson!

Jefferson Bessa disse...

Obrigado pela visita, Teca!
Hilton, obrigado ! Parabéns pelo seu blog Poesia Diversa. Um belo espaço reservado à poesia.
Abraços.

Jefferson.

ROGEL SAMUEL disse...

recebi o livro ONDE HUMANO desse poeta, já o li, e gostei

boa postagem a sua