sábado, 26 de fevereiro de 2011

Um poema de William Shakespeare


poema 91

Uns se orgulham do berço, ou do talento;
Outros da força física, ou dos bens;
Alguns da feia moda do momento;
Outros dos cães de caça, ou palafréns.
Cada gosto um prazer traz na acolhida,
Uma alegria de virtudes plenas;
Tais minúcias não são minha medida.
Supero a todos com uma só apenas.
Mais do que o berço o teu amor me é caro,
Mais rico que a fortuna, e a moda em uso,
Mais me apraz que os corcéis, ou cães de faro,
E tendo-te, do orgulho humano abuso.
.....O infortúnio seria apenas este:
.....Tirar de mim o bem que tu me deste.

Tradução Ivo Barroso

3 comentários:

Hilton Valeriano disse...

Um gigante! Comprei recentemente duas edições de traduções de seus sonetos, uma feita pelo Péricles Eugênio e a outra pela Tereza Motta... Em breve esse grande poeta também estará no Poesia Diversa. Um abraço, amigo!

R.B.Côvo disse...

Muito bom! Abraço.

Mirze Souza disse...

Um entre muitos belíssimos poemas de Shakespeare.

Muito BOM!

Abração Jefferson!

Beijos

Mirze