sábado, 30 de abril de 2011

Um dia: poema de DARIO JARAMILLO AGUDELO



Um dia te escreverei um poema que não
mencione nem o ar nem a noite;
um poema que esconda o nome das flores,
que não tenha jasmins ou magnólias.

Um dia te escreverei um poema sem pássaros,
sem fontes, um poema que descarte o mar
e que não olhe as estrelas.

Um dia te escreverei um poema que se limite
a correr os dedos por tua pele
e que converta em palavras os teus olhos.
Sem comparação, sem metáforas;
um dia te escreverei um poema que tenha teu odor,
um poema com o ritmo de tuas pulsações,
com a intensidade esmagadora de teu abraço.
Um dia te escreverei um poema, o canto da minha felicidade.

Um comentário:

teca disse...

A DO REI!
Novidade deliciosa...

Um beijo imenso!