domingo, 21 de agosto de 2011

SOMA: um poema de Konstantinos Kaváfis


Não sei se sou feliz ou afortunado.
Mas sempre lembro alegre um simples dado:
na grande soma, a soma odiosa e vasta,
a que em tal cúmulo os contém, não sou
um dos tantos somados. No seu rol
não fui por certo incluído. Isso me basta.

tradução: Eugênio Gardinalli Filho

3 comentários:

teca disse...

Espetacular! Dá gosto de ler...
Um beijo carinhoso.

MIRZE disse...

Excelente!

Um poema tipicamente masculino. Vai direto ao ponto, sem bordar ou se prender na sensibilidade. Nunca tinha lido nada igual. Devia ser diplomata!

Beijos, poeta!

Mirze

Luiz Filho de Oliveira disse...

Jefferson, como sempre, suas postagens têm grande qualidade. E mais: obrigado por insistir em fazer comentário em meu blog. Realmente, nele, está havendo um problema com esse tipo de postagem, mas ainda não sei soluciuoná-lo.