sexta-feira, 11 de julho de 2014

AO PÉ DA PENA: POEMA DE PAULO LEMINSKI




todo sujo de tinta
o escriba volta pra casa
cabeça cheia de frases alheias
frases feitas
letras feias
linhas lindas
a pele queima
as palavras queimadas
formas formigas
todas as palavras da tribo

por elas
trocou a vida
dias luzes madrugadas
hoje
quando volta pra casa 
página em branco e em brasa
asa lá se vai
dá de cara com nada
com tudo dentro
                   sai

Do livro "La vie en close"

Um comentário:

Maria Isabel Montes disse...

Fantástico!
Parabéns!

http://isabelmontes-poemas.blogspot.pt/