sexta-feira, 4 de julho de 2014

POEMA DE ROGEL SAMUEL



despertar paredes brancas
despertar paredes brancas, despertar
brancas folhas de papel dormentes
desviar o curso de um regato na encosta
da floresta que canta a sua canção de vento
entornar um pouco desse copo automático
funcionar minhas molas de rascunho pressionadas
retomar o fio da leitura interrompida
iludir o tempo de marcar esta postagem



Este poema está presente no novo blog de poemas de Rogel Samuel. Para visitá-lo, clique AQUI.

Um comentário:

ROGEL SAMUEL disse...

este poema só cria foro de notoriedade entrando no seu blog