quarta-feira, 7 de outubro de 2009

A morte, a vida: um fragmento de Novalis (fragmentos II - 1768)

A morte é o princípio da vida. A morte é, a vida é. A vida é revigorada pela morte. (Novalis)

Este fragmento acima é assinado por Novalis. A morte e a vida são - diz o poeta alemão. Mas ambas são de maneira que se relacionam. A morte está para a vida assim como esta está para aquela. Certamente a vida e morte não estão como oposição, ou seja, a morte como negação - como a privação da vida.
A morte - que poderia ser o fim - é o princípio da vida. Por outro lado, a vida - que poderia ser débil pelo seu fim breve e fatal - é revigorada pela morte, uma vez que esta traz o vigor do sentido da vida.
Por isso, nesse contexto do fragmento de Novalis, a vida é. A morte é. No entanto, são como um espelho voltado um para o outro. Porque simplesmente a vida é a morte e a morte é a vida. Elas são a partir do momento em que olham uma para outra e, dessa maneira, se conjugam entre si mesmas. Aponta assim para um caminho diverso da ideia de VIDA e de MORTE. (Jefferson Bessa)

3 comentários:

maria azenha disse...

desde criança que me vejo a este aparente " duplo espelho"...

é muito importante vir Aqui,amigo.

Bom domingo,

Beijo,

maria

Jefferson Bessa disse...

importante é sua presença aqui, amiga. Obrigado pela visita!

bom domingo

beijo

jefferson

Jorge Elias Neto disse...

Caro Jefferson:

Apenas agora tive acesso ao seu texto.
Estou buscando ler mais sobre Novalis e encontrei a referência de seu blog.
Deixo meu abraço,