sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Quatro momentos do DHAMMAPADA

26: O insensato se entrega à negligência
o sábio
aprecia a atenção
como sua riqueza.


71 *: Uma ação má, quando terminada,
não se faz doce como o leite coagulado
Segue o bobo,
queimando sem chama
como um fogo
escondido em cinzas.


80: Os aguadeiros guiam a água.
Flecheiros amoldam a ponta da seta.
Carpinteiros amoldam a madeira.
O sábio controla a si-próprio.

81: Como uma laje de pedra
não se move ao vento,
assim o sábio não é movido
pelo elogio,
pelo vitupério.

tradução: Thanissaro Bhikkhu e Rogel Samuel (português)

Quem quiser ler mais visite o blog Dhammapada

2 comentários:

ROGEL SAMUEL disse...

O DHAMMAPADA, OU CAMINHO DO DHAMMA, É UMA OBRA MUITO ANTIGA E CLÁSSICA DO BUDISMO. HÁ VÁRIAS TRADUÇÕES. É FONTE DE INSPIRAÇÃO, MEEDITAÇÃO E DE ORIENTAÇÃO. NA REALIDADE É UM OFERECIMENTO DE DHARMA.

Jefferson Bessa disse...

Obrigado pelo comentário. Tenho lido o Dhammapada por intermédio do seu Curso de Budismo online e recebo por email.

Um abraço.
Jefferson,