quinta-feira, 28 de julho de 2011

Poemas: ROGEL SAMUEL E JEFFERSON BESSA




Após o poema Cheguei há pouco:



De Rogel Samuel para Jefferson Bessa:

li há pouco
o seu poema corpo
o corpo do seu poema
as coisas que com o corpo
fazem
li e sonho
com o alheio quarto
do alheio gozo
do poema


De Jefferson Bessa para Rogel Samuel

poema lido, escrito:
que respira
o alheamento
dos olhos, do corpo
do poema.
poema lido, escrevo:
neste quarto
que habitamos.

8 comentários:

ROGEL SAMUEL disse...

o poema do poema
o meta-poema
nâo faz, talvez, um texto
a quatro mãos
mas um repercute no outro
que você, com seu poder próprio
me inspira e leva
quase sempre
a escrever

há algo uma magia
na sua poesia
que me mobiliza
e ativa
como leitor-autor
de qualquer verso

maria azenha disse...

espelhos infinitos...
e por toda a terra se multiplicam.
lindíssimo!

beijo,

maria azenha

Jefferson Bessa disse...

Rogel,

a magia ressoa
em mim quando leio
o surgimento da magia
que em você reluz.
no germe do mundo,
a poesia acontece
me animo de novo
sonho nas suas palavras.

Jefferson Bessa disse...

Maria Azenha, lindas palavras. Sua poesia também nos espelha. Um beijo, amiga! Jefferson.

MIRZE disse...

Dois gigantes da poesia que tanto admiro.

Lendo um e outro e relendo, como se fossem um, o outro.

Simplesmente divino!

Beijos, poetas!

Mirze

Jefferson Bessa disse...

Querida Mirze, você será sempre muito bem recebida neste blog. Obrigado pelo carinho. Beijos. Jefferson.

teca disse...

Que sonoridade! Cativantes ambos os versos.
Um beijo carinhoso. Ou dois, para cabê-los. :))

Jefferson Bessa disse...

Amiga Teca, cativante sempre é a sua visita. Um beijo carinhoso para você também. Jefferson.