quinta-feira, 29 de março de 2012

POEMA III DE O PASTOR AMOROSO DE ALBERTO CAEIRO-FERNANDO PESSOA




Agora que sinto amor
Tenho interesse nos perfumes.
Nunca antes me interessou que uma flor tivesse cheiro.
Agora sinto o perfume das flores como se visse uma coisa nova.
Sei bem que elas cheiravam, como sei que existia.
São coisas que se sabem por fora.
Mas agora sei com a respiração da parte de trás da cabeça.
Hoje as flores sabem-me bem num paladar que se cheira.
Hoje às vezes acordo e cheiro antes de ver.

3 comentários:

teca disse...

Uffff... me tocam esses versos...

"Agora que sinto amor
Tenho interesse nos perfumes."

Beijo, poeta.

Jefferson Bessa disse...

Teca, são versos bonitos realmente. É o "outro" Alberto Caeiro: não o de O guardador de rebanhos, mas um Caeiro sob a influência do amor.

Mirze Souza disse...

"Agora que sinto amor"

E o olfato torna-se olhos, alma e tato.

Belíssimo!

Beijos, POETA

Mirze