quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Um poema de Rogel Samuel

transforma-se o amador em terrorista
e sua inês fálica na pista
em seus braços onde levará?
interdita por preservativos
sua beatriz de amor armada
quando ama mata o amado
punhal pelúcia escondida
eles se encontram na vida
com amor com ódio com cida
maquilagem fementida
salto alto escorregadia via
no vão da escada se masturbam vivos
gameta estrela circunstância pia
nos cines pornôs e hotéis baratos
eles se ajoelham escondidos.
suas crianças desde que perdidas
tão perigosas assaltantes nuas
à noite transadas pelas ruas
por milicianos que a querem vivas
contaminadas nas suas mágicas rotas
de polícias especializadas
no desejo na espera e nessa dor
erotizadas dos primeiros gozos
postais sextantes dessa corja aziaga
de escória e de glórias clandestinas
guirlandas estupradas nesses montes de lixo
de restos de hospitais a flor da morte
(dia virá em que os amantes
serão caçados a bala)

2 comentários:

ROGEL SAMUEL disse...

OBRIGADO POR PUBLICAR ESTE POEMA NO SEU BELO E RESPEITADO BLOG DE POEMAS

Jefferson Bessa disse...

AMIGO, COMO HAVIA DITO O BLOG PRECISA DO ELEMENTO FOGO QUE É O SEU POEMA. :)

FICO AGRADECIDO PELO SEU POEMA ESTAR POR AQUI.

UM ABRAÇO!

JEFFERSON.