quinta-feira, 26 de agosto de 2010

FUI: um poema de Konstantinos Kaváfis


Não me deixei prender. Libertei-me de todo e fui
em busca de volúpias que em parte eram reais,
em parte haviam sido forjadas por meu cérebro;
fui em busca da noite iluminada.
E bebi então vinhos fortes, como
bebem os destemidos no prazer.
tradução: José Paulo Paes

Um comentário:

teca disse...

Um deleite... noite iluminada...