domingo, 29 de maio de 2011

Secos & Molhados e Fernando Pessoa



Não: não digas nada!
Supor o que dirá
A tua boca velada
É ouvi-lo já.

É ouvi-lo melhor
Do que o dirias.
O que és não vem à flor
Das frases e dos dias.

És melhor do que tu.
Não digas nada: sê!
Graça do corpo nu
Que invisível se vê.
(Fernando Pessoa)

4 comentários:

PRECIOSA disse...

LINDO! LINDO! LINDO!esse poema.

Que sua semana seja regada de muito amor

Preciosa Maria

Luiz Filho de Oliveira disse...

Esse trabalho que Os Secos & Molhados faziam sempre me chamou atenção desde a minha adolescência, pois, da mesma forma que fazia Raimundo Fagner, eles musicavam poemas da literatura de língua portuguesa, o que dava uma nova roupagem aos textos. Influenciados, principalmente, por esses artistas, tenho um projeto que ainda pretendo concluir: produzir CDs com poemas que datam desde a literatura medieval, com as cantigas trovadorescas, até a literatura contemporânea (claro que somente aquele em que não houver problemas com os direitos autorais). Daqui a alguns meses, pretendo postar uma dessas composições em meu blog. Até lá e saudações, Jefferson.

Jefferson Bessa disse...

Luiz, esses trabalhos são realmente lindos. Espero em breve ler suas composições. Será uma grande satisfação. Abraço. Jefferson.

MIRZE disse...

Lindo demais, Jefferson!

Eu sempre amei a ambos. Os "Secos e Molhados e Fernando Pessoa.

Juntos formam uma só pele.

Beijos

Mirze