domingo, 8 de agosto de 2010

Chico Buarque: Paratodos


O meu pai era paulista / Meu avô, pernambucano / O meu bisavô, mineiro/ Meu tataravô, baiano/ Meu maestro soberano/ Foi Antonio Brasileiro

Foi Antonio Brasileiro/ Quem soprou esta toada/ Que cobri de redondilhas/ Pra seguir minha jornada / E com a vista enevoada/ Ver o inferno e maravilhas

Nessas tortuosas trilhas / A viola me redime / Creia, ilustre cavalheiro / Contra fel, moléstia, crime / Use Dorival Caymmi / Vá de Jackson do Pandeiro

Vi cidades, vi dinheiro / Bandoleiros, vi hospícios / Moças feito passarinho / Avoando de edifícios / Fume Ari, cheire Vinícius / Beba Nelson Cavaquinho

Para um coração mesquinho / Contra a solidão agreste / Luiz Gonzaga é tiro certo / Pixinguinha é inconteste / Tome Noel, Cartola, Orestes / Caetano e João Gilberto

Viva Erasmo, Ben, Roberto / Gil e Hermeto, palmas para / Todos os instrumentistas / Salve Edu, Bituca, Nara / Gal, Bethania, Rita, Clara / Evoé, jovens à vista

O meu pai era paulista / Meu avô, pernambucano / O meu bisavô, mineiro / Meu tataravô, baiano/ Vou na estrada há muitos anos/ Sou um artista brasileiro


4 comentários:

Amélia disse...

Feliz dia dos pais - não sei se é pai - que, em Portugal, se com,emora a 19 de março, dia de S.José...

teca disse...

Adoro... vir aqui é um alento!

Obrigada.

Beijos.

Jefferson Bessa disse...

Amélia, não sou pai. Mesmo eu não sendo, agradeço a mensagem. Beijos.

Teca, fico feliz com a sua visita. Obrigado. Beijos.

Jefferson.

Regiani Moraes disse...

Belo blog e ótimo conteúdo.
Beijo.